Neoliberalismo e o calvário do Ministério do Trabalho

Julho 28, 2021 - Tempo de leitura: 10 minutos

Uma das características principais do neoliberalismo é o combate ferrenho aos sindicatos que são, em essência, os guardiões dos direitos trabalhistas conquistados em décadas de luta. A completa implantação da doutrina se efetiva pela desregulamentação do mercado de trabalho que, por sua vez, dá início a um novo ciclo de acumulação do capital sem os freios e contrapesos impostos pelo movimento sindical.

Leia mais


Livro avalia o impacto das plataformas digitais no jornalismo

Junho 13, 2021 - Tempo de leitura: 3 minutos

A Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) lançou o e-book “O impacto das plataformas digitais no Jornalismo”, cuja organização é do diretor de Relações Institucionais da FENAJ, José Augusto Camargo. Fruto do trabalho de jornalistas e pesquisadores de diferentes áreas, com o apoio da Fundação Friedrich Ebert, a publicação reúne artigos que tratam do impacto político, econômico e cultural das mega corporações mundiais da internet no ecossistema jornalístico brasileiro, notadamente, das plataformas digitais de negócios e de redes sociais. O livro tem o objetivo de traçar, de forma interdisciplinar, ao longo de sete capítulos, o retrato de como a internet está estruturada no país, seu impacto na contemporaneidade, as consequências da sua presença na sociedade e, especialmente, seu reflexo no jornalismo

Leia mais


Jornalistas não tem o que celebrar sobre 1964

Março 31, 2021 - Tempo de leitura: 14 minutos

A introdução oficial da imprensa no Brasil ocorre em 1808 com o surgimento do Correio Braziliense (1 de junho de 1808) editado por Hipólito José da Costa que por problemas políticos era impresso em Londres e remetido ao país; em seguida é criada a Gazeta do Rio de Janeiro (10 de setembro de 1808), este impresso em terras brasileiras, e que conta com o apoio do imperador Dom João VI que permite sua confecção nas oficinas da Impressão Régia em troca da divulgação dos atos oficiais, e que por isto é tido por muitos como precursor do Diário Oficial.

Leia mais


Sindicalizar-se no ramo digital pode ser arriscado

Março 28, 2021 - Tempo de leitura: 5 minutos

A Medium é uma rede social voltada para um conteúdo mais sério que as impressões pessoais que dominam a internet. É uma espécie de agregador de blogs pessoais que publica textos mais elaborados ou mesmo literários, sendo que a plataforma oferece apoio, divulgação e fidelização de leitores. Para alavancar esta proposta a rede mantinha nove publicações próprias com jornalistas contratados, mas agora tudo mudou e o objetivo passa a ser “apoiar vozes independentes em nossa plataforma” o que resultou na demissão de todo o departamento editorial.

Leia mais


Internet e liberdade de expressão

Fevereiro 28, 2021 - Tempo de leitura: 9 minutos

Na década de 1960, auge da guerra fria, o Pentágono passou a estudar a criação de uma rede de comunicação entre computadores. Sob ameaça de um eventual ataque nuclear e em meio a corrida espacial (uma vez que os soviéticos saíram na frente com o lançamento do satélite Sputnik, em 1957) foi criada a Arpa (Advanced Research Projects Agency) que, por sua vez, criou em 1969 a ARPANet que tinha o objetivo de interligar as bases militares e os departamentos de pesquisa do governo americano envolvidos no projeto. Assim, o embrião da internet surgiu a partir do complexo industrial militar dos EUA. Como é comum nestes casos, o sistema foi desenvolvido com a colaboração (através de projetos e financiamento) de universidades, o que permitiu que a rede fosse usada também para pesquisas acadêmicas. Como acontece com frequência, uma nova tecnologia militar acaba por gerar negócios que são posteriormente exploradas pela iniciativa privada.

Leia mais


Crise digital, redes sociais e a suspensão das contas de Trump

Janeiro 14, 2021 - Tempo de leitura: 12 minutos

No dia 6 de janeiro, incentivado pelo próprio presidente Donald Trump dos EUA através das redes sociais, um grupo de seus apoiadores invade o Capitólio, como é conhecido a sede do congresso americano. Passada a aventura, dois dias depois o Twitter suspende permanentemente a conta de Trump (que possuía 88 milhões de seguidores) “devido ao risco de mais incitação à violência” e sob a alegação de que desrespeitava as regras da rede social. Em seguida foi a vez de Mark Zuckeberg, do Facebook, tomar medidas restringindo o acesso do presidente à sua conta no que foi seguido também pelo Instagram. Fica registrado aqui que se trata do mais um episódio da “crise digital” que assola a sociedade contemporânea.

Leia mais


A publicação

Reflexões sobre a contemporaneidade
Um espaço para debater a realidade do Brasil e do mundo, abrangendo diversos campos do conhecimento, das artes e da sociedade.